sábado, 1 de novembro de 2008

Edson Arantes do Nascimento comenta a nomeação de Diego Maradona para seleccionador nacional da Argentina


Conhecida que é a ternura que estes dois génios do futebol sul-americano e mundial sentem um pelo outro, a aldeia não podia deixar de pegar no telefone e, através da realização de uma chamada a cobrar ao destinatário, sondar o grande rei Pelé no que respeita a El Pibe, o novo responsável máximo pela selecção do país das pampas, eterno rival do escrete canarinho.
Com uma voz que revelava algum sarcasmo, o nosso interlocutor fez questão de salientar que, finalmente, a selecção argentina passou a ter um seleccionador que se identifica com ela.
Como não percebemos o sentido de tal afirmação, não deixou de nos esclarecer, rindo:
“- Ora, todo o mundo aqui no Brasil pensa que eles são uma droga!”
Mais um goal do mestre, só pode!
Hic Hic Hurra

1 comentário:

gaby alvez disse...

Para mim, Pelé foi o melhor do Mundo, de sempre, e é caricato quererem eleger todos os anos um melhor do Mundo. É grotesco, mero pretexto para macacadas televisivas.
Mas Maradona foi genial também. Como jogador. Como homem é um bom exemplo do que não deve um desportista ser.
Homens como Beckenbauer, Cruijf, Platini, Sócrates (o doutor brasileiro), Figo, pouco têm a ver com os Ronaldos das piruetas.
Mas o mundo actual é pimba, que se há-de fazer?